mulher fazendo live pelo celular
| |

Como criar um roteiro para live?

As lives já são bastante conhecidas por quem acessa a internet. Afinal, nos últimos anos tivemos um crescimento no seu uso, principalmente por causa da pandemia de Covid-19. Mas você já reparou que algumas transmissões ao vivo são mais atrativas do que outras? Já participei de inúmeras lives, como palestrante e participante. Com o tempo, descobri que muito desse envolvimento vem de um roteiro bem elaborado. Quer saber como fazer um? É só conferir o conteúdo a seguir!

Por que fazer um roteiro?

Antes de começar a escrever, é interessante pensar nos motivos que fazem o roteiro ser tão essencial para os eventos online. Em geral, ele atua como guia de conteúdo e abordagem do assunto. Então, podemos pensar em três fatores-chave para incluí-lo nas suas transmissões:

  • Garantir que todos os pontos do tema sejam abordados;
  • Direcionar e organizar o assunto de acordo com o objetivo da transmissão;
  • Destacar informações importantes e/ou que precisam ser reforçadas.

Qual o formato de uma live?

Podemos usar as transmissões ao vivo para praticamente qualquer tipo de evento híbrido ou online. Já vi desde webinars e treinamentos até processos de onboarding em empresas. As oportunidades são inúmeras! Existe um certo consenso de que as lives tenham início, meio e fim bem organizados. Mas como dividir o conteúdo em cada um desses estágios? Pra ficar mais fácil, você pode pensar assim:

  • Abertura – comece com algo envolvente para chamar a atenção do público. Pode ser uma breve história ou mensagem de efeito que tenham a ver com o tema, por exemplo;
  • Desenvolvimento – apresente conteúdo de forma organizada e linguagem acessível a todos. Você pode contextualizar o assunto com alguns exemplos e depois aprofundar com os conceitos, dicas e soluções;
  • Fechamento – retome os principais pontos na conclusão, agradeça a participação do público e deixe uma mensagem final. Você também pode pedir para a audiência compartilhar o conteúdo ou visitar seu site, por exemplo.

Seja qual for o tema da sua transmissão, é essencial estimular a interação dos participantes. E detalhe: isso também deve estar no roteiro, viu? Além de fazer perguntas para a audiência e responder dúvidas e comentários, sua live pode incluir: enquetes, quizzes, sorteios e até gamificação. Então, é importante definir com sabedoria quando e como usar esses recursos.

Se você já está planejando sua próxima transmissão ao vivo, clique aqui e fale comigo agora. Vou te ajudar a fazer uma live inesquecível!

mulher fazendo live com roteiro pelo celular

Como fazer o roteiro de uma live?

Vou confessar que já criei o roteiro de um evento online antes de fechar a programação. Nem preciso dizer que tive que refazer várias vezes, né? Então, pra não correr o risco de fazer uma live desorganizada, trouxe alguns pontos cruciais para você avaliar antes do roteiro.

  • Objetivo da transmissão – ter clareza do resultado que deseja alcançar vai te ajudar a definir sobre todos os outros pontos da live;
  • Tema – o assunto que vai ser abordado deve ter um enfoque, envolvendo a linguagem e as informações que vão ser incluídas ou não;
  • Público-alvo – o perfil de pessoas que você deseja que participem é a base para decidir a melhor abordagem, palestrantes e horário para a live;
  • Recursos necessários – é preciso decidir a plataforma de transmissão da live e quais as ferramentas de interação serão usadas;

Depois de ter esses aspectos bem definidos, é hora de escrever o roteiro da sua live. Geralmente, os eventos online têm duração média de 1 hora. Quando são mais extensos, esse período é usado como referência para os intervalos na programação. De um modo ou outro, você precisa saber quanto tempo sua transmissão terá para distribuir o conteúdo do seu roteiro.

Por exemplo, minha última live foi de 2 horas. Era uma mesa redonda com quatro enquetes simultâneas ao conteúdo e sorteio no final da programação. No roteiro que fiz, separei 20 minutos de abertura, 10 minutos de intervalo e 20 minutos para o fechamento. Assim, fizemos dois blocos de 35 minutos de desenvolvimento do tema.

Mas além do tempo, seu roteiro pode incluir também como será a introdução, desenvolvimento e fechamento da live. Ou seja, escrever como seria suas falas sobre o tema, uso de recursos audiovisuais e também a interação com o público. Quanto mais detalhado, melhor.

Uma dica de ouro

Com o roteiro em mãos, faça uma revisão minuciosa para conferir se nada ficou de fora. Então se possível, separe um momento específico para isso no dia seguinte. É uma forma de descansar a mente para voltar com um olhar mais apurado para os detalhes. Depois de pronto, ensaie algumas vezes para ter uma referência de como será sua live. É nesse momento que percebemos se são necessários ajustes de tempo, linguagem e até mesmo de abordagem do assunto.

Bom, antes de finalizar, é importante frisar: você deve ver o roteiro como um guia para seu evento. Muitas pessoas ficam restritas aquilo que escrevem e na hora da live seguem o roteiro à risca, lendo cada palavra. Mas não faça isso, viu? Além de ficar uma transmissão robotizada você acabará distanciando o público. Então na hora do “vamos ver”, naturalidade é crucial.

Artigos similares